segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Com Engenhão lotado, Fluminense vence o Guarani e depois de 26 anos, se torna Bi Campeão Brasileiro

E como eu já havia relato no penúltimo post, o time que tinha 99,9% de chance de ser campeão, acabou mesmo levando a taça. Num gol de Emerson, Fluminense ganha do Guarani e festeja o seu bi campeonato, depois de 26 anos em seca.



Todos esperavam um jogo fácil, não só a torcida do Fluminense para o jogo do mesmo, e sim Cruzeiro e Corinthians para os seus respectivos jogos. Mas os que vimos foi adversários totalmente inversos, que se entregaram para o jogo, que tinham velocidade, e que realmente queriam vencer. Bem diferente do que vimos nas últimas rodadas, onde se falava mais em entrega de jogo do que de um bom futebol equilibrado.

O Fluminense começou pressionando o time alviverde, sendo isso nenhuma novidade, pois o Flu é bem superior à equipe do Guarani.

Chegando ao ataque aos cinco minutos, Emerson não conseguiu dominar a bola. E Guarani bem fechado, no esquema tático 3-6-1, apostava mais nos contra-ataques.

Não sendo muito marcado pelo Fluminense, o time alviverde conseguia tocar com tranquilidade a bola no meio de campo, apesar de perdê-la quando se avançava para o ataque. Sendo assim, a única solução para o time da casa, era encurtar mais os espaços e não deixar que o Guarani pegasse o gosto pela partida.

O Flu teve sua chance para abrir o placar e o Guarani também, mas pela tensividade de ambos os times, nenhum dos dois fizeram tal feito. No Guarani, teve briga até entre os seus próprios jogadores, levando os dois assim, um cartão amarelo, assinalado pelo árbitro Carlos Eugenio Simon.

O primeiro tempo acabou, empatado por zero a zero, a torcida mais ansiosa do que nunca. E o grande técnico Muricy Ramalho, logo correu para o vestiário, vendo que teria que acertar muito seu time.

Na volta pro segundo tempo, já a bola rolando, aos dez minutos, Muricy chamou Washignton para aquecer, que entrara no lugar de Júlio César. E aos 16 minutos, Washignton, o coração valente, tocou de cabeça para a área, a bola resvalou em Guilherme e caiu para Emerson, que sem piedade, chutou para debaixo das pernas do goleiro, fazendo um a zero para o Fluminense.

A torcida foi a loucuras, o tempo que antes parecia passar rápido demais, dessa vez ficava como nunca, lento.

O Fluminense fizera mais duas substituições, tirando Fred para a entrada de Fernando Bob e Emerson por Rodriguinho. E o técnico Mancini do Guarani, também mexeu no esquema tático, tentando dar mais agressividade ao jogo, mas de nada adiantou.

Vendo que o Cruzeiro tinha conseguindo uma virada na Arena do Jacaré, sobre o Palmeiras. O time carioca era obrigado a ganhar. E os jogadores, no banco, já não aguentavam para o fim da partida. Segurando a pressão, e tentando ter a posse da bola, aos 47 minutos, Simon apita, era o fim do jogo. E Fluminense tornava o campeão brasileiro de dois mil e dez.

* Palavras do zagueiro Gum, do Fluminense, que relata bem essa caminhada rumo ao título: Ficou marcado por tudo que passamos. Perdemos a final da Sul-Americana em casa, a torcida ainda assim nos apoiou. Sofremos muito no Brasileiro do ano passado, nos salvamos. Esse ano brigamos sempre na parte de cima da tabela. Agora vamos comemorar a geração de guerreiros. Somos guerreiros e campeões. Estamos na história do clube.

Um comentário:

  1. Só em uma país "sério" como o Brasil, um time que não conquistou a vaga na elite do futebol brasileiro no campo de futebol pode se tornar campeão da séire A. Os jogadores não tem culpa disso, mas se a CBF, a Justiça, o Fluminense, o Brasil fossem um país sério de verdade, o Fluminense teria que ter conquistar a vaga dentro de campo antes de dar volta Olímpica. De todo caso, parabéns a FlumiNed, ou seria unimed, ou seria fluminense??

    ResponderExcluir

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger