quinta-feira, 24 de maio de 2012

Vilão e Heroi

Ambos no final do jogo, Silva acaba com a esperança do Fluminense e Paulinho leva Corinthianos ao delírio. 

Na noite de quarta-feira, as equipes brasileiras encararam as quartas de final pela Libertadores em jogos bastante emocionantes. Nada de muitos gols. Cara de decisão por pênaltis. O Fluminense precisava fazer pelo menos um gol para levar o jogo aos pênaltis, já que perdeu por um a zero na Bombonera, enquanto os Corinthianos, que encaravam outro brasileiro, Vasco, tinham de ter cuidado para não levar nenhum gol, ou pelo menos fazer dois, por jogar em casa e o último jogo ter sido um empate por zero.

No Rio de Janeiro, o Fluminense começou o jogo com muita garra, como disse o técnico Abel Braga no final do jogo – todo mundo deu raça, não teve um que não foi ao seu limite – e aos 17 minutos, na cobrança de falta batida por Thiago Calerto, desviou na barreira, enganou o goleiro e foi no cantinho, abrindo o placar para o time carioca. Dominando o primeiro tempo inteiro, o Flu saiu de campo com vantagem.

E permaneceu assim grande parte do segundo tempo, até que, o cara do Boca, detentor de 3 títulos de Libertadores, Riquelme, entrou na partida, e participou da jogada que levaria ao gol. Com lançamento dele, Sánchez Miño tinha chutado para a trave, o goleiro tirou, no rebote, mas o atacante do Boca, Santiago Silva, mandou pra dentro.  Assim, nada de pênaltis, e Fluminense eliminado.


Depois em São Paulo, o jogo dos brasileiros parecia ser o mesmo que o primeiro jogo. Muita cautela, defesa, e sair com segurança. Desse modo, o primeiro tempo e boa parte do segundo ficaram zerados. A grande oportunidade foi a de Diego Souza, que interceptou chute de Alessandro e ficou sozinho, avançou e de cara com o goleiro, chutou para a direita, bem fraco e com um toquinho sútil, Cássio mandou pra fora. Os torcedores ficaram perplexos, se aquele gol saísse, as coisas se complicariam para os paulistas.  

Passado o susto, finalmente, só aos 43 minutos do segundo tempo, na cobrança de escanteio, Paulinho cabeceia perfeitamente, e manda pra rede. O técnico Tite, que já acompanhava o jogo junto à torcida, pela expulsão tomada, comemorou euforicamente com os companheiros da comissão técnica, e depois de 12 anos, o timão sente o gostinho de chegar a uma semifinal. 

2 comentários:

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger