quinta-feira, 21 de junho de 2012

Finalmente, pela primeira vez, Corinthians chega a final da Libertadores


O jogo tão aguardado enfim passou. De um lado, Santos prometia ir com tudo, jogar o futebol que todo mundo esperava, já o time Corinthiano, ia no esquema de  segurar a marcação e manter a vantagem e ir para a final.

 Acredito que até os narradores e comentaristas que estavam cobrindo a Copa do Brasil ficaram com raiva por ter perdido um grande jogo, que já fora polêmico na partida de ida na Vila Belmiro.

Santos começou a ter mais posse de bola, mas bem cauteloso e arriscando pouco, a equipe corinthiana chegou ao ataque somente por um contra ataque, aos 11 minutos, Willian rouba a bola e leva a um lance perigoso para a equipe comandada pelo técnico Tite. Sem querer ousar demais, e manter a vantagem do 1 a 0 feito na Vila pelo atacante Emerson, não presente por causa da expulsão, o time Corinthiano pouco se atreveu, enquanto isso os Santistas tentavam sair da forte marcação.

Aos 30, em uma jogada feita por Neymar livre na direita, lança para Juan na esquerda, que chuta, mas Cássio defende. A marcação corinthiana estava realmente boa, mas não impecável, e aos 35 minutos, Neymar começa a jogada pelo meio,que passa por Alan Kardec, Borges e ironicamente depois de bater na trave, volta pra canela do craque, iniciador da jogada, Neymar, para mandar para dentro.

Como de praxe, o time santista recuou, sofrendo pressão do time alvinegro, que com um placar que levaria aos pênaltis, foi buscar de novo a classificação. Aos 45 minutos, num lançamento de Fábio Santos, Jorge Henrique quase marca de peixinho, mas o goleiro Rafael defende.

À volta pro segundo tempo veio sem alterações para o time santista e a entrada de Liédson para o time da casa, e já aos 2 minutos de jogo, Alex cobra falta, que sem marcação alguma, sobra pra Danilo com tranquilidade dominar pra marcar o gol de empate.

Santos foi buscar reverter o resultado, mas estava muito difícil passar pelo time Corinthiano, que adiantava sua marcação para não deixar espaços para o Peixe, principalmente para Neymar. E quando detinha a posse de bola, tracejava fazer mais um gol para ficar aliviado, aos 22, na jogada de Liédson, Alex lança pro meio, Paulinho chuta na trave, assustando a todos no Estádio, mas a jogada já estava em impedimento.

Aos 30, mais um susto. Falta do Durval em cima de Liédson, Alex cobra muito forte e Rafael defende. O jogo ficou meio truncado, nervoso, e apesar das alterações feitas por Muricy Ramalho, de nada adiantou.

E pela primeira vez, depois de mais de 100 anos, o Timão chega a final da tão sonhada e paradisíaca Libertadores. Agora resta esperar o resultado do confronto de amanhã entre La. U. e Boca Juniors, para saber quem pegará na final. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger