domingo, 8 de julho de 2012

Campeão invicto da Libertadores

Finalmente o dia tão aguardado chegou. Enfim a final da Libertadores do ano de dois mil e doze, e um feito inédito aconteceria no final deste jogo. O clube que contém uma das maiores torcidas do Brasil, teria pela primeira vez o coroado título da Libertadores.

Para muitos lances que aguardávamos, como de praxe em um grande jogo, ficamos somente na vontade no primeiro tempo. Jogo foi apático, sem muitos lances perigosos, marcação forte e somente finalizações corintianas.

Pro segundo tempo, tentando ser mais ousado, Tite pediu ao seu time que avançasse mais, claro que, com devidos cuidados na marcação para que os argentinos em suas espertezas não abrissem o placar em um contra-ataque.

Assim, a segunda etapa complementar iniciou-se com uma finalização de Emerson e depois de tanta pressão, o próprio, aos 8 minutos, com um vacilo da defesa do Boca, que o deixou sem marcação, abriu o placar.

Os jogadores argentinos tentaram se encaixar em busca de um empate, mas os erros de passes eram constantes, o que prejudicava ainda mais, até mesmo o maestro Riquelme, não estava em sua melhor noite.

Em tantos erros, mais um acabou sendo crucial para os argentinos, o zagueiro Schiavi errou passe na intermediária defensiva, e Emerson mais uma vez, em sua agilidade, aproveitou o vacilo do adversário e fez o segundo e último gol daquela noite.

Com o Boca irreconhecível, pouco aguerrido, depois de tomar mais um gol, se perdeu completamente em campo, não levando nenhum trabalho a defesa corintiana.

Depois de 102 anos, o time paulista finalmente ergue a taça da Libertadores, e ainda mais, consagrou-se o título de forma invicta. De quebra, garantiram o seu lugar na competição do ano que vem e disputarão o Mundial Interclubes final do ano, que contará com a presença do time inglês Chelsea, campeão da Champions League.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger