domingo, 12 de agosto de 2012

Saber criticar

O Brasil perdeu pro México e viu mais uma vez o sonho do ouro ir por água a baixo, ou melhor, ir em 30 segundos por água a baixo. Críticas, xingos, tudo acontece nessa fase. Jogadores que não merecem estar ali, treinador que mexeu errado, e por aí vai. Trabalho de meses e meses é dado como completamente incerto. Não estou aqui parar defender algum jogador ou o treinador, até porque não vou entrar nessa questão – o que faltou para a seleção levar esse ouro – neste artigo, vou retratar de algo que falta muito e que muita gente deveria aprender.

Sabemos que é difícil, pois não é nada fácil controlar o espírito torcedor. Mas cá pra nós, vamos ser mais sensatos e começar a nos colocar no lugar dos outros. Deparo-me constantemente com frases como: “Esse jogador é mesmo mercenário”, “Pagaram para ele jogar, só pode” e outros afins. Não falo que isso não acontece claro que acontece em muitos casos, mas é realmente com quem pensamos?

Vamos ficar mais ligados e prestar atenção no que falamos parar de afirmar coisas sobre tais pessoas que mal conhecemos. A maioria que fala, sequer passa o dia a dia com todos os integrantes da comissão técnica, mal sabem de suas vidas, seus caminhos, por tudo o que passaram. Será que nós torcedores somos serem tão supremos assim para poder julgar quem mal conhecemos e vemos muitas vezes somente nas telinhas?

Como seríamos bem mais sucedidos se começarmos a apontar causas realmente dentro do que conhecemos e aprendermos a frear mais a língua. Assim, além da seleção aprender com os próprios erros para os próximos eventos, nós, torcedores, ganharíamos o quesito ouro no momento de criticar. Olha que maravilha! 

13 comentários:

  1. Boa Noite, Roberta! Prazer em falar contigo. Li esta e uma outra matéria sua, além de entrevistas feitas aqui no blog e, deu p/ perceber que são interessantes. Mas me diga uma coisa: você sabe me dizer onde eu possa "arrumar" um trabalho na área de Comunicação Social, aqui em Brasília. Em Julho do ano passado me formei na faculdade, em Jornalismo e, até agora não consegui nenhum. Só fiz estagio mesmo. Muito Obrigado! Deus te abençõe! Eduardo - Asa Sul (BSB).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite. Igualmente. Muito obrigada. Ixi rapaz, não vou saber te ajudar. Já até visitei Brasília, mas não tenho nenhum contato jornalístico por aí. Por nada, se precisar de qualquer outra coisa, estamos aí. Obrigada pela visita.

      Excluir
  2. Matéria muito interessante. Muito bom ver que não são todos os brasileiros que se alienam nas idéias fabricadas para distanciar a visão de onde mais deve ser visto. E, com blogs como este podemos ler de esporte, sem mesmices e clichês. Ameeeei. Parabéns Linda.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hayanne, é isso aí. Ótimo o seu comentário. Só que ás vezes o clichê pode ser usado ou acaba sendo necessário. Abs. Deus te abençõe. Eduardo B. Alves - Asa Sul (BSB).

      obs.: Só por curiosidade, mas o comentário aí de cima é meu mesmo.

      Excluir
    2. Verdade.
      Muito obrigada Hayanne.
      Volte sempre.
      Bjs.

      Excluir
  3. Muito legal seu post, você esta muito certa. Juntando a isso, tem o fato de que o Brasil nunca "perdeu para ninguém". Em 98 foi porque o Brasil vendeu a copa, em 2006 foi a meia do Roberto Carlos e 2010 foi o Felipe Melo que estragou tudo. Brasileiro é muito prepotente quando o assunto é futebol.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala nada. É um complexo de inferioridade às vezes fora do normal.

      Excluir
  4. Não vejo como prepotência não, vejo como emoção exacerbada, acima dos limites da razão.
    E sem querer entrar muito no mérito da questão, a medalha de ouro não virá enquanto for tratada como é, ou seja, como o último desejo do futebol brasileiro. Basta ver o exemplo do Corinthians na Libertadores. Quando tomou consciência e passou a jogá-la com a cabeça, conquistou o título. Não é uma comparação, é apenas uma forma de enxergar.

    Saudações!!!

    ResponderExcluir
  5. Concordo cabeça..o foco tem que ser em um futebol de qualidade, atletas saudáveis..o resto é consequência..sempre irá existir dias de gloria e dias de derrota..é só aprender a lidar com isso.

    =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dias de glória e de derrota.. quase um Charlie Brown ai em cabeça, hehehehe!

      Excluir
  6. auhsuahsuahs.. mais ou menos isso! rsrs

    ResponderExcluir
  7. De Bolero pra Bolera, que pena que nao ganharam as olimpíadas, mas foi por pouco..
    bjs

    ResponderExcluir

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger