segunda-feira, 21 de julho de 2014

Dunga de volta a Seleção Brasileira. Bom ou não?

Quem esperava ver um novo técnico na Seleção Brasileira, nos dois sentidos, estreante e em idade, que pudesse trazer inovação e eficiência com os talentos que temos, infelizmente venho lhe informar que suas expectativas foram frustradas, mas quem sabe, não pode dar certo? Assim esperamos.

Indicado por Gilmar Rinaldi, coordenador de Seleções, pelo presidente da CBF, José Maria Marin e pelo mandatário da Federação Paulista, Marco Polo Del Nero, será divulgado, em coletiva de imprensa, na terça-feira às 11h, no Rio de Janeiro, a contratação do ex ou velho comandante Dunga e sua comissão técnica.

Com 50 anos de idade, Dunga estava à frente da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2010, quando foi eliminada nas quartas de final pela Holanda. O técnico estava prestes a confirmar sua ida para a Seleção da Venezuela, mas com a proposta da equipe canarinho, mudou o rumo de seu trajeto.

Dunga vai substituir Felipe Scolari após o vexame histórico de 7 a 1 a favor da Alemanha nesta Copa. Curiosamente, desde 2006, os técnicos que serviram a Seleção Brasileira são gaúchos, Dunga, Mano Menezes e Felipão. 

Se as expectativas foram frustradas quem seria o novo técnico? Muricy? Pep Guardiola? Conservar o mando de nomes nacionais ou tentar a vez com os estrangeiros? Continuar com o Felipão ou investir numa forma de se jogar futebol?

A Alemanha foi campeã com maestria nesta Copa, pois estava se preparando para erguer a taça desde a eliminação precoce na Eurocopa de 2000. A primeira medida foi obrigar os clubes a cumprirem novas determinações para o aprimoramento das categorias de base, caso não cumprissem, seriam proibidos de jogar a liga. Para ser técnico de futebol não bastaria ser apenas um ex-jogador, nas exigências teria de ter formação e muito conhecimento.

Assim, hoje há mais de 10 000 técnicos atuando no país com licenças de vários níveis, conforme divulgado na edição de julho deste ano da revista Placar, para crianças menores de 14 anos, a Federação Alemã de Futebol, firmou convênios com escolas para implantar essa mesma filosofia. Um bom exemplo a ser seguido.

Dunga terá um enorme trabalho pela frente. Terá que peneirar alguns nomes na lista de jogadores que participaram dessa última copa, terá que buscar talentos ainda não revelados, mas acima de tudo, fazer com que o estilo arte de futebol brasileiro possa só não fazer sucesso, mas ser campeão. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Powered by Blogger